Não-Comestivel Projeto Do Pinhão-Manso Do 110.750 Hectares No Brasil.

Nós gostamos de vos informar mais sobre o nosso projeto de pinhão-manso no Brasil. Temos 110.750 hectares disponíveis no Brasil. Nós também podemos fazer a gestão do projeto, com pessoas de Países Baixos que vivem por muitos anos no Brasil e já muita experiência com a produção de pinhão-manso.

Nós selecionamos mais de 900 fazendas no Brasil que estavam à venda e encontrados apenas 1 fazenda que satisfaça a RSB. Princípios & Critérios para a Produção Sustentável de Biocombustíveis.

Fazenda excelente, margeiam o Rio Parnaíba 56 Km. (dividindo os Estados PI. e MA).
Quatro áreas maiores acima, no total de 110.750 ha. – sendo de uma área com 44.300 hectares, uma área com 38.800 ha., uma área com 19.800 ha., e uma área com 7.850 ha. e poderão ser vendidas em um único bloco ou individualmente. O solo virgem, transição entre a savana e a floresta, pode ser muito bem preparado para pinhão-manso (jatropha)).

Localização:
No município de Barreiras do Piauí e no município de Gilbués, Comarca de Gilbués, Estado do Piauí. 

Acesso:
Rodovia Estadual (PI-260) no meio das fazendas – ligando os Estados do Piauí com o Maranhão.

 Característica da área:
Área com um percentual alto de aproveitamento, mata virgem, transição entre cerrado e mata (de fácil derrubada e bom aproveitamento de madeira).

Pluviosidade:
Acima de 1.300 mm. (outubro à maio).

Topografia:
80% de área plana e 20 % de ondulada.

Terra:
25% a 30% de argila.

Altituda:
de 550 a 600 metros.

Tamanho da reserva legal:
20%, e não esta averbada na escritura. ITR e CCIR em dia.

 Oreferenciamento:
Ainda não foi efetuado o georeferenciamento, será feito por ocasião da venda. Esta cadastrada no INCRA.

Características gerais do estado do piaui:

Rodovias:
Rodovias federais e estaduais asfaltadas ligam a REGIÃO SUL DO ESTADO DO PIAUI a todas as capitais do País, bem como aos portos mais próximos da Europa e dos Estados Unidos.

 Transporte rodoviário:
A Região é atendida por várias empresas de ônibus, entre elas: Transbrasiliana, Vipu, Ipu, Princesa do Sul, Real Expresso, Transpiauí, ltapemirim e Penha, que recentemente inauguraram o intinerário que liga Pelotas-RS, via Cascavel, Maringá -PR., Estado de São Paulo, Triângulo -Mineiro, Brasília -DF, Barreiras -BA., Corrente, Bom Jesus, Floriano -PI, Uruçuí e Fortaleza -CE. 

Transporte marítimo:
A REGIÃO SUL DO PlAUÍ está ligada, por rodovias asfaltadas, aos portos mais próximos das regiões importadoras de grãos e outros gêneros (Europa, Estados Unidos, etc…).

São eles:
Porto de itáqui;
(Ponta da Madeira), situado em São Luis, Capital do Estado do Maranhão e administrado pela C.V.R.D. (Companhia Vale do Rio Doce), por onde se escoa o minério de ferro da Serra de Carajás-PA.

Porto de luíz correia:
No litoral do Piauí. Uma vez inaugurado, receberá navios graneleiros com capacidade individual de até 50.000 t.

Outros portos de destaque:
Recife, Salvador e Fortaleza.

O Corredor Norte de exportação, formado por significativa malha rodoviária, ferroviária e de portos, tem a vantagem estratégica de se localizar, em comparação com os portos da região Sul e Sudeste do País, bem mais próximo dos tradicionais mercados importadores de grãos e outros gêneros (Europa, EUA, etc.), com considerável redução no custo do frete e, .consequentemente, em melhores condições de competição no mercado internacional.

Nova fronteira agrícola.
A REGIÃO SUL DO PlAUÍ é hoje conhecida como a mais nova fronteira agrícola do País. Interligada às regiões do sul do Maranhão (Balsas) e ao oeste da Bahia (Barreiras ), possui todas as condições necessárias, a médio prazo, de figurar entre as maiores e melhores regiões de produção de grãos e outros gêneros, atendendo às expectativas de produção e produtividade.

Preço: € 20.000.000,00 incluindo todos os custos de aquisição (e por sua vez registros).